Visualizações no mês

quarta-feira, janeiro 28, 2015

Aílton 'Putin' Silva e o desafio da 'Federação Lusa'

http://espnfc.espn.uol.com.br/portuguesa/ordem-de-avis/ailton-putin-silva-e-o-desafio-da-federacao-lusa

 
A Portuguesa que vai estrear contra a Ponte Preta no dia 1º de fevereiro de 2015, no estádio Moisés Lucarelli, é o que se pode chamar de "colcha de retalhos". Isso não quer dizer que seja dividido por "panelinhas", "igrejinhas" ou nada do gênero, Os "retalhos" se referem a uma equipe composta por jogadores que atuavam nos mais diferentes campeonatos, com os mais variados níveis técnicos.

No comando da Rubro-Verde estará Aílton Silva, técnico vindo do Mogi Mirim e notável por sua semelhança com o líder da nação com o maior território da Terra. Assim como Vladimir Putin, Aílton terá a dura missão de administrar diferenças enormes em prol do sucesso comum.

Dentre os reforços do time, temos atletas vindos dos mais diferentes cenários. O contratado mais recente, o zagueiro Perema, atuava no Campeonato Paraense. Bruno Bertucci, lateral, estava no Azerbaijão. Outro zagueiro, Alex Lima, militava no Campeonato Cearense. O atacante Hugo defendeu na última temporada o Fagiano Okayama, do Japão, país onde também atuavam o volante Ferdinando, que já passou pela Lusa, e o defensor Guilherme Almeida.

Com tantos reforços vindos dos mais diversos clubes, com as mais variadas condições técnicas e financeiras, Aílton tem de guiar pessoas das mais diferentes origens e aspirações de forma a criar uma unidade coesa, bem semelhante com a Rússia, que em seu território reúne as etnias mais variadas possíveis, como tártaroscossacosmongóiscazaquesarmêniosazerisuigurestunguskos.

Os nomes desconhecidos e as origens obscuras também podem ser encontrados aos montes no elenco que a Lusa está formando para o Paulistão 2015. Criar um ambiente que possibilite o convívio pacífico, assim como o traçado de metas em comum, é uma meta compartilhada por Putin e Aílton. Com a diferença clara de que Aílton não tentará dominar o vizinho, pois, diferentemente da Ucrânia, nosso vizinho de muro é, no momento, muito mais poderoso do que a nossa Rubro-Verde (o Corinthians). Ainda bem! Que nosso comandante concentre suas forças em nos fazer respeitados novamente, e não em ações violentas e de caráter duvidoso.

Porém, assim como a formação do país chamado Federação Russa, esperemos que a Portuguesa também surpreenda a todos: nos tempos antigos, a Rússia era desprezada pelas nações mais desenvolvidas da Europa, como França e Prússia, que a viam apenas como um lugar inóspito e sem desenvolvimento, mas se impôs com conquistas e mostras de grande bravura em tempos difíceis.

Que a Lusa, comandada por Aílton "Putin" Silva, também surpreenda os mandachuvas e mostre toda a sua força no continente chamado "Paulistão". Que Gabriel Xavier seja nosso "Yuri Gagarin" e nos leve às alturas com gols. Que Jussa, assim como Vassili Zaitsev, jamais erre o alvo. E que nós da torcida, assim como o povo de Stalingrado, tenhamos sempre fé na vitória!

Nenhum comentário:

Postar um comentário